O que é carcinicultura

Sem dúvidas, a pesca de camarões é uma atividade que gera um grande valor para quem a pratica em todo o mundo. Já a carcinicultura é uma atividade considerada relativamente nova no nosso país.

A sua expressão econômica é moderada o principal mercado dessa prática é majoritariamente a exportação.

Então, para saber um pouco mais sobre esse assunto, continue lendo e saiba um pouco mais!

Afinal, o que é a carcinicultura?

Para quem ainda não sabe, a carcinicultura nada mais é do que a técnica que consiste na criação de camarões em viveiros. Atualmente, essa é uma prática bastante desenvolvida no litoral do Brasil, especialmente no Rio Grande do Norte.

A carcinicultura marinha é a única alternativa viável nesse momento para suprir a crescente demanda de consumo desse fruto do mar.

Por isso ela está se consolidando como uma importante atividade socioeconômica com efeitos muito positivos nas regiões em que ocorre.

Dentre os crustáceos que são cultivados na carcinicultura, o destaque vai para os camarões, não apenas por causa do seu valor, mas também por ser uma iguaria fina consumida em larga escala nos países mais desenvolvidos.

No seu princípio, a criação dos camarões era feita de forma extensiva, juntamente com outros tipos de peixe.

No entanto, com a evolução da tecnologia se tornou possível ter um cultivo de larga escala em diversos países.

Nos dias de hoje, cerca de 30% de todo o camarão consumido no mundo inteiro atualmente provem dessa técnica.

Com isso, os produtores podem ter grandes vantagens em relação à técnica antiga é a possibilidade de produzir mais quantidade em menos tempo. Além disso, o produto possui um excelente valor de mercado, podendo ser altamente lucrativo.

Tipos de carcinicultura

Vale lembrar ainda que existem três diferentes tipos de cultivo de camarão, que são as seguintes:

    • Sistema extensivo: se caracteriza pela baixa densidade de estocagem de camarões, tendo uma capacidade de produção de cerca de 450 kg por ano, porém com novas tecnologias está sendo possível aumentar a produção:


Por outro lado, a principal vantagem é que demanda um investimento baixo, visto que não faz uso de aeradores ou alimentos artificiais.

      • Sistema semi-extensivo: esse sistema possibilita chegar à produção de 10 toneladas por ano. No entanto, é imprescindível o uso de alimentação artificial, embora não exclua o uso de alimento natural.
      • Sistema intensivo: esse é um sistema mais caro, mas conta com tanques de alta estocagem, embora seja necessário usar alimento de alta qualidade.